Templários

A Ordem do Templo de uma perspectiva histórica.

segunda-feira, maio 02, 2005

Cronolgia

Decidi para quem tenha mais dificuldade, colocar uma cronologia das datas mais importantes na vida da Ordem e no seu tempo, a seu tempo tentarei colocar uma cronologia mais extensa.


CRONOLOGIA TEMPLÁRIA
1091 Nasce São Bernardo de Claraval.
1095 Urbano II proclama a I Cruzada.
1099 Godofredo de Bouillon toma Jerusalén.
1104 Hugo de Champagne vai pela primeira vez à Terra Santa.
1108 Hugo de Champagne vai pela segunda vez à Terra Santa.
1110 Presença de Hugues de Payns na Terra Santa.
1113 São Bernardo une-se a Cister.
1114 Terceira viagem de Hugo de Champagne à Terra Santa.
1115 Hugo de Champagne oferece terrenos à Ordem de Císter.
1118 Hugues de Payns e oito cavaleiros juntam-se com o objectivo de proteger os peregrinos na Terra Santa. Apresentação ante Balduino II.
1120 A confraria adopta o nome de "Pobres Cavaleiros de Cristo".
1124 Hugo de Champagne une-se aos templários em Jerusalém.
1128 O concilio de Troyes encarrega a São Bernardo a constituição de regras para a Ordem do Templo. De “Laude Novea Militiae " Exortação á nova milicia
1129 Data oficial da fundação da Ordem do Templo em 14 de Janeiro no concilio de Troyes.
1130 A Ordem converte-se no exército regular do reino de Jerusalém.
1136 Morre Hugues de Payns; sucede lhe Robert de Craon.
1138 Primeiro feito de armas na Terra Santa: derrota em Teqoa frente aos turcos. Os templários são exterminados.
1139 Omne datum optimum, bula do papa Inocencio II que dota a Orden de numerosos e exclusivos privilégios.
1142 Os Templários recebem a sua cruz como emblema.
1144 Proclama-se a II Cruzada.
1145 Novas bulas de Inocêncio II, Milites templi e Militia Dei, entre estes novos privilégios é lhes permitido construir castelos e oratórios próprios.
1148 Euvard des Barres, Mestre da Ordem, e os seus templários salvam o rei Luís VII no monte Kadmos.
1150 Novo Grão-mestre do Templo: Bernard de Trémelay.
1153 Eugénio III entrega-lhes a cruz vermelha sobre o hábito que se torna no distintivo da sua capa branca.
Tomada de Ascalón e morte do Mestre Bernard de Trémelay e quarenta dos seus templários.
Morre São Bernardo de Claraval.
1166 Doze templários são julgados e condenados por terem entregado uma fortaleza ao Islão.
1177 Oitenta templários participam na batalha de Montgisard, ganha a Saladino por Balduino IV, rei de Jerusalém.
1187 Proclama se a III Cruzada.Na batalha de Hattin, cento e quarenta templários sob o comando de Gérard de Ridefort são feitos prisioneiros e executados por Saladino; Ridefort é perdoado. Saladino toma Jerusalén.
1191 Os templários conquistam Chipre.
1202 Proclama se a IV Cruzada.
1215 Proclama se a V Cruzada.
1219 A 5 de Novembro, heróica participação dos templários, ao lado dos cruzados de Juan de Brienne,na conquista de Damieta no delta do Nilo.
1223 Proclama se a VI Cruzada.
1231 Possivelmente os templários negoceiam em segredo com o Sultão de Damasco a devolução de Jerusalém.
1244 Desastre de Forbie, em 17 de Outubro, no assedio de Gaza: de 348 templários só escapam 36. Derrotas e conflitos na Terra Santa, vitórias sem precedentes na Península Ibérica.
1248 Proclama se a VII Cruzada.
1250 Em 8 de Fevereiro, Guillaume de Sonnac, Mestre da Ordem, morre na batalha de al-Mansura.
1254 Fim da sétima cruzada. Gregorio X tenta a fusão das ordens do Templo e do Hospital sem éxito ante a resistência do Mestre Jacques de Molay e do rei de Aragão.
1268 Proclama se a VIII Cruzada.
1291 Caída de São João de Acre e perda definitiva da Terra Santa. Guillaume de Beaujeu morre no assédio de Acre e a elite da Ordem é aniquilada.
1294 Jacques de Molay, último Grão Mestre do Templo.
1297 O Templo empresta 2.500 libras a Felipe, O Belo.
1298 O Templo empresta 50.000 libras a Felipe, O Belo.
1301 Entrevista de Molay com Ramón Llull em Chipre.
1304 Calcula-se que a Ordem tenha 30.000 membros.
1305 Primeira denuncia contra os templários.
1307 A 13 de Outubro, detenção dos templários em toda a França. A 24 de Outubro é julgado o Mestre Jacques de Molay.
1310 Os templários julgados em Castela e Portugal são absolvidos. Em França, 54 templários são condenados a morte.
1312 A 3 de abril, a bula Vox clamantis dissolve a Ordem do Templo. Os bens são transferidos para a Ordem do Hospital. Concilio de Tarragona e absolvição dos templários catalano-aragoneses.
1314 Acaba o processo inquisitorial contra a Ordem, a 18 de Março, com a queima na fogueira do Mestre Jacques de Molay e Geoffroy de Charnay em París. Também morriam Felipe O Belo e o Papa Clemente V.

5 Comments:

At 2:25 da tarde, Blogger Ana de Sena & Miguel de Sena said...

Tenho uma dúvida persistente sobre a Ordem, que pesquisa minha ainda não resolveu. Sabe-me dizer qual a relação efectiva dos Templários com os "Hashashin" ? Esoterismos à parte, assim bem como as teorias da conspiração...

 
At 4:23 da tarde, Blogger Templar said...

De facto existe uma ligação com os "Hashashin" e de facto não existe qualquer esoterismo nessa relação.Existia isso sim uma especie de vassalagem\diplomacia.
O facto é que muito provavelmente os "Hashashin" que formaram um estado independente que foi destruido aquando da invasão Mongol,
tinham recebido um ou mais castelos/territórios que os Templários não poderiam manter e preferiam "oferecer" a oponentes directos do poder muçulmano, não existe documentos a comprovar; no entanto ao longo da presença Templária na Terra Santa os "Hashashin" sempre estiveram ligados a assasinios que favoreciam a causa Templária.
Tentarei estudar mais profundamente este assunto e tentar colocar um post que retire algumas duvidas quanto a esta questão, no entanto isto será apenas uma possibilidade e só depois do estudo teremos algo de concreto.

 
At 2:53 da tarde, Blogger Ana de Sena & Miguel de Sena said...

Obrigado pela disponibilidade (futura), e aguardarei. Até agora, só tenho tido acesso à versões esoterico-hermáticas sobre tal, gostaria de ouvir a outra versão, a da Ciência da História.

 
At 12:36 da manhã, Blogger DeepBlue said...

Parece-me, à primeira vista, haver um pequeno erro na cronologia: o "louvor à nova milícia" foi apenas escrito em 1134/5, após alguma insistência de Hugo de Payns. Espero que aceite este reparo, não como uma crítica, mas como apenas um pequeno ajuste no trabalho que está a desenvolver e que me parece muitíssimo bom.

 
At 5:02 da tarde, Anonymous para "ninguém" said...

aconselho a leitura de "samarcanda" de Amin Malouf para o esclarecimento das duvidas sobre os Hashashin

achei que o blogg esta muitissimo bom; continue o seu trabalho

 

Enviar um comentário

<< Home