Templários

A Ordem do Templo de uma perspectiva histórica.

segunda-feira, julho 18, 2005

Baphomet uma Heresia Templária?

Baphomet uma heresia Templária?
Á já algum tempo que um colega meu; já arqueólogo e bloguista ; durante o Curso Livre “O Mundo Árabe e Islâmico – das origens aos nossos dias II ” na UE, me pergunta para quando um artigo sobre Baphomet e a sua ligação com a Ordem do Templo?
A pergunta ficou, até me decidir a pesquisar esta relação, mal sabia das dificuldades, no entanto aqui fica um post com um tamanho um pouco grande mas que acho que vale a pena ler e criticar.

Como aparece Baphomet, não se sabe com precisão onde surgiu o termo Baphomet. Uma das possíveis origens, entretanto, é atribuída a pesquisa do arqueólogo austríaco Barão Joseph Von Hammer-Pürgstall,um não simpatizante do ideal Templário, que em 1816 escrevera um tratado sobre os alegados mistérios dos Templários e de Baphomet, sugerindo que a expressão proviria da união de dois vocábulos gregos, “Baphe” e “Metis”, significando “Batismo de Sabedoria”. A partir desta conjectura, Von Hammer especula a respeito da possibilidade da existência de Rituais de Iniciação, onde haveria a admissão, seja aos mistérios seja aos segredos cultuados pela Ordem do Templo.
Ora só existe um problema quanto ás investigações deste arqueólogo austríaco, não simpatizava com a Ordem e achava que era culpada dos crimes mesmo antes de pesquisar sobre eles, este facto faz com que historiadores e estudiosos do tema aceitem as suas teses com grandes reservas sendo estas totalmente aceites por diversos ocultistas .As suas pesquisas têm algumas ilustrações em que afirma que estas eram degenerações de ídolos gnósticos. Um traço bem marcante de todas as figuras era a forte presença de caracteres de hermafroditismo ou androginia, traços que, ainda de acordo com a descrição de Von Hammer, endossariam cabalmente as acusações de perversão movidas pelo clero contra os Templários.
O seguinte personagem a mencionar Baphomet é Alphonse Louis Constant ou melhor: Eliphas Lévi um padre que desistiu da sua função e tornou-se ocultista. Nascido em 1810 este filho de um sapateiro atrai a atenção de um padre de Paris que o envia para um seminário, saiu ou foi obrigado a sair como alguns argumentam devido á suas visões heréticas ou por pregar doutrinas contrárias á da Igreja.A sua ilustração mais conhecida e que muitos conhecem seja de cartas de Tarot, como o demónio, seja como símbolo ocultista é na Próprias palavras de Lévi: “Figura panteística e mágica do absoluto. O facho colocado entre os dois chifres representa a inteligência equilibrante do ternário; a cabeça de bode, cabeça sintética, que reúne alguns caracteres do cão, do touro e do burro, representa a responsabilidade só da matéria e a expiação, nos corpos, dos pecados corporais. As mãos são humanas para mostrar a santidade do trabalho; fazem o sinal do esoterismo em cima e em baixo, para recomendar o mistério aos iniciados e mostram dois crescentes lunares, um branco que está em cima, o outro preto que está em baixo, para explicar as relações do bem e do mal, da misericórdia e da justiça. A parte baixa do corpo está coberta, imagem dos mistérios da geração universal, expressa somente pelo símbolo do caduceu. O ventre do bode é escamado e deve ser colorido em verde; o semicírculo que está em cima deve ser azul; as pernas, que sobem até o peito devem ser de diversas cores. O bode tem peito de mulher e, assim só traz da humanidade os sinais da maternidade e do trabalho, isto é, os sinais redentores. Na sua fronte e em baixo do facho, vemos o signo do microcosmo ou pentagrama de ponta para cima, símbolo da inteligência humana, que colocado assim, em baixo do facho, faz da chama deste uma imagem da revelação divina. Este panteus deve ter por assento um cubo, e para estrado quer uma bola só, quer uma bola e um escabelo triangular”. É uma boa representação no entanto peca historicamente e não deve ser tomado como “verdadeiro” Baphomet, pois esta figura é muito parecida com com a curiosa representação do Diabo, esculpida, alguns anos antes da sua “tese”, em 1842 no pórtico da igreja de Saint-Merri, em Paris.Ligando aos templários podemos encontrar uma gárgula que poderia ter servido de inspiração a Lévi na comendoria de Saint Bris le Vineux que pertencia á Ordem.
O que dizer das teses destes dois senhores? Como arqueológo gostaria de ver as bases de Von Hammer quanto aos achados que fez e que parecem ter desaparecido.Quanto a Alphonse Louis Constant como historiador penso que a sua representação parece ter muitos pormenores ocultistas talvez até demasiados para a época Medieval onde a maioria dos nomes dos demónios já estava fixa para o trabalho da inquisição ser mais fácil e pelo facto do processo templário não os apresentar tanto como adoradores de um demónio, mas mais como desviantes da doutrina da Igreja e adoradores de algo como um objecto ou estátua, apresentando-os aos olhos do povo como hereges.
Na acusação dos templários existe referencia ao adoramento de um ídolo não lhe sendo no entanto dado nome definitivo, os templários que confirmam a adoração são no entanto os que são torturados e na tortura qualquer um confirmava o que o inquisidor quisesse, ainda existia o facto de a “investigação principal” ser conduzida por Filipe o Belo e Nogaret no reino de França. As confissões são muitas vezes contraditórias uma vez que aparecem diversas descrições e não só uma comum, a mais comum parece ser a descrição de uma cabeça decepada de um homem velho e barbudo, existem também as descrições de uma cabeça com três faces estas representações pareciam aparecer de diversas formas sejam esculpidas em pedra, pintadas em madeira ou dentro de relicários como baús que não eram abertos, o que é um facto é que durante a o processo o inquisidor-geral pediu um inventário geral dos objectos á guarda dos templários e principalmente “cabeças” ou objectos com a forma de cabeça, a busca efectuada encontra apenas um relicário que protege a parte de cima de um crânio humano. Neste caso posso argumentar que o negócio de relíquias santas, quer fragmentos de ossos, quer roupas ou outras era já muito conhecido pois podemos encontrar crânios de um santo em diversas localidades pelo mundo, no período medieval a situação ainda era mais grave devido ás cruzadas e á entrada de relíquias trazidas da Terra Santa, existiam demasiadas relíquias no entanto a questão das figuras e das relíquias era muito frágil para tanto nobres como povo, estavam a adorar as figuras?O que ela representava?Ou através destas pediam o auxilio divino a Deus sendo estas formas meras maneiras de ajudar á concentração e á fé? Estas questões ainda eram bastante prementes num mundo cristão que vivia sob a supervisão da inquisição e em que ter bíblias em casa, ou objectos como uma cruz ou representação de santos podia ser visto por um inquisidor menos bem disposto como desviante dos ensinamentos cristãos.Neste caso era comum uma Ordem ter mais do que uma relíquia de santos que eram importantes para essa Ordem e que eram considerados patronos ou protectores, na Ordem do Templo temos uma Ordem ligada á acção militar, com campanhas feitas mesmo quando a Terra Santa tinha sido perdida e que eram efectuadas só pela Ordem do Templo que tinha o poder financeiro suficiente para as fazer, se tal processo continuava então os argumentos do Grão-Mestre Jaques de Molay quanto ás acusações de idolatria e de desvios, encontrado na investigação paralela efectuada por Clemente V e já com um post mais detalhado,é fundamentado do ponto de vista militar se continuavam em funções contra o inimigo muçulmano tais capítulos de aceitação na Ordem eram apenas a parte psicológica do treino dos templários para a guerra, se o processo adorar com a cabeça e não com o coração era entendido pelos membros da Ordem então podemos afirmar que muitos não entenderiam logo de inicio e tal ignorância poderia ter iniciado a adoração dos templários a Baphomet quando os inquisidores colocaram essa informação no processo, mas o porquê da explicação do Grão Mestre para tais procedimentos não se encontrar entre o processo geral da Ordem efectuado pelo rei da França e supervisionado por Nogaret, faz nos pensar se não existiria apenas uma tentativa de desacreditar a Ordem pelo único processo em que poderiam ser condenados o da heresia.
Quanto aos outros países em que a Ordem é ilibada? O impacto de Baphomet não é tão grande talvez porque representações de figuras barbudas ou mesmo híbridas eram tomadas como as representações que existiam por toda a Europa em templos e igrejas feitas pelos pedreiros livres e que muitas vezes representavam entidades mitólogicas ou mesmo estou em crer uma espécie de caricatura da época medieval. Estas criaturas tanto podiam ou não ter um significado podendo ter uma mensagem ou apenas serem para embelezar um local, no entanto na minha investigação não encontrei qualquer prova de que os templários adoravam uma outra entidade e que as esculpiam nas suas igrejas e comendas, este tipo de pensamento iniciou-se quando os documentos do processo foram estudados e descobriu-se que mostravam descrições do dito Baphomet, no entanto estas pessoas não tiveram em conta que estavam a ler um processo inquisitorial, que são dos documentos que devem ser estudados com maior espírito critico e com maior paciência, uma vez que as pessoas eram torturadas e que os inquisidores não estavam ali para ter a verdade mas sim para retirar a sua “verdade”, o processo templário apresenta as retracções destes mesmos templários quando a tortura cessava e parece que tal escapou a muitos dos que investigaram o processo, outro argumento é o facto de que mesmo que não houvesse tortura os templários estavam sujeitos a ela quando o que dissessem não fosse do agrado do inquisidor, sendo freires sabiam bem da sua situação uma vez que já tinham tido problemas com os dominicanos.
O caso Baphomet não encerra, uma vez que eu posso por o que descobri e no entanto no futuro serem descobertas novas provas. Apenas digo que não é nada incomum as comendas e as igrejas templárias apresentarem este tipo de representações uma vez que elas existe por todas as igrejas medievais e muitas vezes bem menos ortodoxas do que as representações templárias, quanto ao facto de aparecerem no processo pergunto-me se era verdade porque não apareceu no processo de Clemente V se estava totalmente dominado por Filipe da França, então porquê outro processo onde as provas ilibem os templários neste caso de heresia e desvios? E porque é que as provas apresentadas pelo Grão Mestre só são retiradas durante a tortura, a justificação do Grão Mestre que aparece nos manuscritos encontrados no Vaticano não se encontra no processo do rei de França? É um caso que parece merecer uma investigação mais cuidadosa uma vez que foi um processo que afectou não só uma Ordem como toda a Europa continuando a afectá-la como se pode ver.

7 Comments:

At 11:58 da manhã, Blogger Baphomet said...

Parabens pelo artigo está bastante bom, e bastante elucidativo...fiquei a saber mais umas coisitas.

 
At 12:02 da manhã, Blogger Templar said...

Obrigado.
Espero que com o tempo mais informações venham á luz do dia.
Até lá é esperar.

 
At 1:28 da tarde, Blogger Reaper said...

Se for preciso matar alguém para surgirem mais informações chamem está bem? O trabalho continua um bocado morto...

 
At 12:08 da tarde, Blogger Templar said...

Peço desculpa por tal, mas o facto prende-se com uma investigação que estou a fazer.O blog será reatado o mais brevemente possivel.
Obrg

 
At 8:10 da tarde, Anonymous Montbard said...

Saudações de Além mar. Antes de tudo, desculpe português errado do Brasil. Se porventura usar os brasileirismos bem diferentes de você, me perdoe.

Bom. Adorei o seu trabalho. Gosto de ver trabalhos sérios sobre os Templários, sem a famosa ofuscação do esoterismo. Vejo que muitos preferem acreditar no inverossímil, do que crer em fatos históricos, baseados em cultura material e documentos.

Aproveito o ensejo, e o convido a visitar nosso sítio:

www.webtemplarios.cjb.net

Acredito que suas matérias seriam de grande importância a todos.

 
At 10:02 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Muito bom texto!
Tenho uma imagem muito interessante, é um pentagrama com vários outros simbolos sobrepostos a este. Entre eles reconheci o de Baphomet, por iste motivo procurei saber um pouco mais sobre o assunto. Seu texto me ajudou muito.
Mas existem muitos outros síbolos nesta mesma imagem, gostaria muito de sua ajuda para identifica-los.
Como poderia fazer para lhe enviar a imagem?
Agradeço muito sua atenção.

claudinhopf@hotmail.com

 
At 4:24 da manhã, Blogger Edson Carlos de Oliveira said...

Uma historiadora do Arquivo Secreto do Vaticano diz, com provas históricas, que esse tal idolo que os templários adoravam era, na verdade, o Santo Sudário.

Confira:
http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com/2009/04/os-templarios-veneravam-o-santo-sudario.html

 

Enviar um comentário

<< Home